Você poderia ser dono do seu negócio?


Você poderia ser dono do seu negócio?


Dono do seu negócio

Você já parou para analisar que nosso processo de aprendizado profissional nos ensinou a sermos bons profissionais para buscarmos bons empregos?

Bom, OK, mas, e daí?

À primeira vista, nada de errado, mas se olharmos para os dados alarmantes de empresas que fecham nos seus primeiros dois anos, poderemos achar uma grande relação com nosso histórico de formação. E se pensarmos que conseguir que um negócio ultrapasse a barreira dos cinco anos é alcançar um enorme feito para poucos, teremos a certeza que há muito mais nesta causa do que somente dificuldades econômicas do país.

É claro que não podemos generalizar, e considerarmos que existe a parcela que cresceu com exemplos e sendo preparado para gerir negócios. E por esta orientação ou percepção prematura sobre seus objetivos, agregou, desde cedo, ao seu processo de formação profissional os conhecimentos necessários para ser dono de um negócio.

Mas assim como eu, acredito existir uma parcela gigantesca da população profissional ativa que dedicou em seu aprendizado a se tornar um ótimo profissional. Mesmo ainda hoje com esta maravilhosa onda de empreendedorismo e educação a respeito, o número de pessoas sem preparo para gerir um negócio é esmagador.

Pensamos que o fato de sermos bons profissionais já seria o suficiente para nos capacitar a buscar uma vida autônoma ou dona do seu próprio negócio. E para todos aqueles que já tentaram e ainda tentam isso, fica claro que o contexto é muito mais complexo. Em muitas vezes, nem é preciso ser tão bom profissional assim, mas o mais importante é saber ser um bom gestor de negócio.

Para cada profissão ou tipo de negócio existem inúmeras peculiaridades e estratégias, mas os cuidados e áreas do negócio que devemos cuidar e gerir são quase sempre as mesmas. E quando o negócio possui um pequeno/médio porte, ou mesmo quando somos autônomos, acabamos tendo que desenvolver conhecimento e atenção a todas as áreas. Se não para exercê-las, ao menos para geri-las.

Os negócios, de forma mais simplificada, giram em torno do produto ou serviço oferecido e para que ele aconteça algumas áreas são necessárias, como: Produção; Financeiro, Gestão do negócio (processos de produção, análise de resultados, RH, etc.), Marketing e Inovação constante. Ter o controle de todas estas áreas não é garantia de sucesso, mas é uma certeza de estar bem preparado para a guerra do mundo de venda de produtos e serviços.

Ao final de um curso superior ou profissionalizante, saímos preparados para sermos profissionais, ou seja, darmos conta da parte de Produção e Operacional de um negócio. Isso quer dizer que temos plenas condições de procurarmos um emprego, pois neste emprego teremos que lidar, única e exclusivamente, com aquela atividade para qual estudamos e aprendemos. Todas as outras áreas serão preenchidas por profissionais na mesma situação...conhecedores do seu ofício e setor. E por que funciona? Porque existem pessoas nesta empresa que possuem o conhecimento necessário de todas as áreas para uni-las em informações que darão condições de operar o negócio.

Agora, imagina quando uma pessoa, baseada na percepção da sua qualidade profissional, decide abrir um negócio por conta. Mas acredita que apenas a sua capacidade profissional será suficiente para o sucesso do seu sonho...Você acha que terá sucesso ou vida longa? Pois este é o nosso cenário empreendedor no país. Somos profissionais, ou sonhadores, sem o conhecimento completo e necessário para gerir um negócio.

Será que isto não é uma das principais razões para o alto nível de fechamento de portas nas empresas nacionais? Dizem que somos um país empreendedor, mas com negócios com baixíssimo tempo de vida. Eu costumo dizer é que não empreendemos por sermos um povo de Espirito Empreendedor, mas sim por pura necessidade de buscar algo que gere renda e possibilite uma vida com mais qualidade.

Se você é um excelente alfaiate e acha que esta qualidade será o suficiente para um sucesso nos dias de hoje...você pode até conseguir algum lucro, mas não se dedicar à gestão do seu negócio, à olhar os números financeiros, não buscar inovar sua forma de trabalhar e oferecer seu produto e não buscar promover seu trabalho para obter, constantemente, clientes...saiba que em algum momento serás engolido...ou por uma crise, ou pelos próprios erros.

E isto tudo também vale para aqueles que possuem recursos para contratar profissionais para cada uma destas áreas, pois se você não souber o que acontece em cada uma delas, você estará sendo conduzido exclusivamente pela cabeça de outra pessoa...e nem sempre convivemos com pessoas com boas intenções.

Tenha visão e controle do seu negócio e aprenda aquilo que não saiba, pois se você não o fizer, outras pessoas o farão por você. Deixará de sentar no banco do motorista para andar no banco do passageiro.

Obrigado pela leitura.

Maurício Aurvalle.

#Consultoria #CoachingEmpresarial #TextosMaurícioAurvalle #MaurícioAurvalle

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo